O Itaú BBA retirou as ações do Pão de Açúcar (PCAR4) e Cosan (CSAN3) para dar lugar aos papéis da Lojas Americanas (LAME4) e Vale (VALE3), mostra um relatório enviado a clientes nesta quinta-feira (28).

Gostou desta notícia? Receba nosso conteúdo gratuito

Segundo os analistas Lucas Tambellini, Fábio Perina, Tiago Binsfeld e Eduardo Marzbanian, a saída dos ativos do Pão de Açúcar e da Cosan se deu por conta da realização de lucros.

A carteira é ainda formada por Minerva (BEEF3), MRV (MRVE3) e Petrobras (PETR4).

Lojas Americanas

Sobre a Lojas Americanas, o Itaú a vê bem posicionada para explorar a retomada do consumo e o ciclo de juros baixos no Brasil.

“Os sinais dados nos resultados do segundo trimestre de 2017 apontam para uma redução de queima de caixa por parte de sua subsidiária B2W nos próximos trimestres, podendo ser um ponto de inflexão para as duas companhias”, explicam os analistas.

Vale

Já para a Vale, considerada a top pick no setor, o banco tem uma visão positiva baseada em resultados fortes para o terceiro trimestre de 2017, impulsionados pelo preço do minério de ferro maior do que as estimativas para o período.

O Itaú BBA estima que a queda recente no preço do minério de ferro, que saiu de US$ 78 por tonelada para US$ 64 por tonelada, está em linha com o esperado para o final do ano de US$ 60 a tonelada.

“Com este declínio, as ações negociam com um valuation atrativo e um potencial de valorização de 22% em relação ao nosso preço-alvo de R$ 41”, avaliam os analistas.

Por fim, o banco ressalta que a redução nos investimentos e a meta da companhia em diminuir a dívida para um patamar entre US$ 4 a US$ 10 bilhões também suportam a visão otimista

Nenhum comentário.